Ministro brasileiro repreende vencedor do Prémio Camões

O vencedor do Prémio Camões, o escritor brasileiro Raduan Nassar, fez duras críticas ao Governo de Michel Temer na cerimónia de entrega do prémio. O ministro brasileiro da Cultura, presente na cerimónia, saiu em defesa do Governo.

... E ASSIM NASCEU - ALENQUER DO BRASIL

    Alenquer (Pará)

    Município de Alenquer
    Alenquer-pa.jpg




    Hino
    Aniversário 10 de Junho (elevação a categoria de cidade)
    Fundação [ ? ?] de 1729
    Gentílico alenquerense, chimango ou ximango
    Lema Trabalho Paz e União
    Prefeito(a) Luis Flávio Barbosa Marreiro (PSC)
    (2013–2016)
    Localização
    Localização de Alenquer
    Localização de Alenquer no Pará
    Alenquer está localizado em: Brasil
    Alenquer
    Localização de Alenquer no Brasil
    01° 56' 31" S 54° 44' 16" O
    Unidade federativa Pará Pará
    Mesorregião Baixo Amazonas IBGE/2008
    Microrregião Santarém IBGE/2008
    Municípios limítrofes Santarém, Monte Alegre, Óbidos, Curuá e Almeirim
    Distância até a capital 701 km
    Características geográficas
    Área 22 282,075 km²
    População 54 960 hab. IBGE/2016
    Densidade 2,47 hab./km²
    Altitude 52 m
    Clima Equatorial quente e úmido
    Fuso horário UTC−3
    Indicadores
    IDH-M 0,564 baixo PNUD/2010
    PIB R$ 528 399,30 mil IBGE/2014
    PIB per capita R$ 9 721,62 IBGE/2014
    Página oficial
     
    Alenquer é um município brasileiro do estado do Pará, pertencente à Mesorregião do Baixo Amazonas. Localiza-se no norte brasileiro, à latitude 01º 56' 30" sul e à longitude 54º 44' 18" oeste.

    Etimologia

    Primitivamente chamada de aldeia de Surubiú, fundada pelos portugueses com a ajuda dos capuchos da piedade ou capuchinhos nos fins do século XVII nos tempos da colonização da Amazônia, à margem do rio Surubiú ou igarapé de Alenquer, na confluência com o igarapé Itacarará. Sendo chamado de vila de Alenquer em 1758, por determinação do Governador Capitão General Francisco Xavier de Mendonça Furtado.

    História

    Devido as dificuldades de comunicação e endemia de sezões os luso-descendentes mudaram para a margem do então rio Surubiú ou igarapé de Alenquer e com a ajuda de índios do rio Trombetas, fundaram a aldeia de Surubiú, na região do atual município de Alenquer.

    Em 1758 a aldeia de Surubiú foi elevada à categoria de vila. No período, da viagem do governador capitão general Francisco Xavier de Mendonça Furtado ao rio Negro para reunir-se com o plenipotenciário espanhol sobre a demarcação de limites das terras das coroas de Portugal e Espanha. Durante a viagem, visitou as povoações e aldeamentos ribeirinhos e elevou à categoria de vila as que julgou merecer.
    Alenquer foi elevada à categoria de município em 10 de junho de 1881. Em seguida, foi elevada à categoria de comarca em 29 de março de 1883.

    Geografia

    Localiza-se à latitude 01º 56' 30" sul e à longitude 54º 44' 18" oeste, a uma altitude de 52 metros, distante 68 km da capital estadual Belém e 2 078 km da capital federal, Brasília. Sua população estimada em 2015, de acordo com o IBGE, era de 54 662 habitantes, distribuídos em uma área territorial de 23 645,452 km².

    Turismo

    A pequena cidade do interior paraense conta com muitas belezas naturais. Dentre elas, destacam-se as cachoeiras do Vale do Paraíso: Véu de Noiva, de 25 metros; Preciosa, de 35 metros; e Cachoeira Paraíso, de 12 metros. Esta última, contem uma boa infraestrutura para turístico.

    O município de Alenquer também conta com uma formação rochosa erodida pelo vento, que esculpiu gigantescas figuras, onde povos primitivos fizeram inscrições e desenhos até hoje não decifrados. E a Cidade dos Deuses, que fica a 45 km do centro da cidade.
    A grande festividade de Santo Antônio, que ocorre do dia 1º à 13 do mês de junho. 

...E ASSIM NASCEU - ALENQUER DE PORTUGAL

Coordenadas: 39° 03' 22" N 9° 0' 29" O

Alenquer
Brasão de Alenquer Bandeira de Alenquer
Alenquer.jpg
Alenquer
Localização de Alenquer
Gentílico Alenquerense
Área 304,22 km²
População 43 267 hab. (2011)
Densidade populacional 142,2  hab./km²
N.º de freguesias 11
Presidente da
câmara municipal
Pedro Folgado (PS)
Mandato 2013-2017
Fundação do município
(ou foral)
1212
(foral da infanta D. Sancha)
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Oeste
Distrito Lisboa
Antiga província Estremadura
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 2580 Alenquer
Sítio oficial Município de Alenquer
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
Alenquer é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Lisboa, região Centro e sub-região do Oeste, com perto de 9 000 habitantes. É banhada pelo rio do mesmo nome.

É sede de um município com 304,22 km² de área e 43 267 habitantes (2011), subdividido em 11 freguesias. O município é limitado a norte pelo município do Cadaval, a leste pela Azambuja, a sudeste por Vila Franca de Xira, a sul por Arruda dos Vinhos, a sudoeste por Sobral de Monte Agraço e a oeste por Torres Vedras.

História

Alenquer de "Alen Ker" significa "A vontade de Alão". O Cão alano, uma raça conhecida pelas suas qualidades na caça e combate, continua a proteger a vila de Alenquer no seu brasão. Alenquer foi fundada por muçulmanos e conquistada por D. Afonso Henriques. Recebeu foral em 1212 da infanta D. Sancha, filha de Sancho I de Portugal, esta é uma das versões outras autores preferem referir sobre a etimologia de Alenquer referir que a vila de origem romana, dizendo que então se chamara Jerabrica, querem outros que fosse fundação dos alanos, no ano de Cristo de 418, e que estes a denominaram Alan Kerke, na sua língua «Templo dos Alanos».

O concelho de Alenquer desempenhou um papel preponderante em cada época, em cada momento, da História de Portugal. Desses tempos ficaram vestígios materiais, lendas, memórias, tradições, que sendo patrimônio de todos nós deve ser entendido e acarinhado.

Pré-história

De entre os fósseis de animais pré-históricos encontrados na região de Alenquer, destaca-se o Apatosaurus alenquerensis. Foi descoberto pelo geólogo americano Harold Weston Robbins que então trabalhava por conta da Companhia Portuguesa de Petróleos. As ossadas apareceram no meio de um caminho rural, algumas dezenas de metros a Norte de um moinho arruinado chamado Moinho do Carmo, situado a cerca de 1500 metros a Sul de Alenquer.
Depois de uma visita ao local, pessoal dos Serviços Geológicos, sob a direção de Georges Zbyszewski, realizou, em junho de 1949, as escavações, recolhendo 26 enormes vértebras pertencentes ao fóssil de um mesmo animal, muito frágeis, permitindo no entanto serem reconstituídas.

O estudo paleontológico dos achados revelou tratar-se de um animal do período Jurássico (135-165 milhões de anos), de proporções gigantescas (podendo atingir 35 toneladas de peso, 22 metros de comprimento e 6 de altura), pertencente à família dos Saurópodes herbívoros.

Por se tratar de nova espécie, semelhante ao Apatosaurus da América, e tendo em conta o local onde foi encontrado, recebeu o nome de Apatosaurus alenquerensis. Encontra-se no Museu dos Serviços Geológicos, em Lisboa.

Origens de Alenquer

A descoberta pelo arqueólogo Hipólito Cabaço de objetos polidos no sítio do Castelo (sem precisar exatamente a localização) e de fragmentos cerâmicos junto da vulgarmente chamada Porta da Conceição parece indício seguro de uma origem pré-histórica da vila, no espaço depois limitado pela fortificação medieval.

As cerâmicas, classificadas por Cabaço como Eneolítico, são por ele descritas como “Diversos fragmentos de vasos campaniformes com desenhos incisos encontrados por baixo da muralha da Porta da Conceição – Alenquer”.

Localizado a meia-encosta, o sítio da Porta da Conceição levanta dúvidas quanto à localização e estrutura do povoado a que estariam associados aqueles vasos. João José Fernandes Gomes, que estudou o espólio, aponta duas possibilidades: a de se tratar de um povoado de tipo castrejo, que ocupara o topo do outeiro do Castelo, a 107 metros de altitude; ou de um povoado que ocupara uma das vertentes do mesmo monte.

A primeira parece, contudo, comprometida. Hipólito Cabaço, que nos anos trinta do século XX realizou escavações na zona da alcáçova do castelo medieval nada encontrou de tempos pré-históricos. Como escreveu Luciano Ribeiro: “Supoz-se que, abaixo do piso relativo à primeira dinastia alguma coisa houvesse das civilizações anteriores. Porém, infelizmente: nada!”.
Aceitando a segunda hipótese – povoado de encosta - não será indiferente a proximidade da Porta da Conceição às inúmeras fontes e nascentes que brotavam no sítio das Águas, de ambos os lados do rio, que era abundante de peixes, conforme relatos modernos.

Também para lá do rio, no monte fronteiro a esta encosta da Porta da Conceição, chamado do Pedregal, Cabaço recolheu, para além de restos paleontológicos e antropológicos, materiais eneolíticos. 

Atividades econômicas

O concelho de Alenquer pode ser visto, em traços gerais, como um espaço em processo de expansão, sobretudo urbanisticamente, e em que a base econômica é fortemente marcada pela agricultura, em especial a vinha e o vinho.

A evolução tem vindo a ser condicionada pelo posicionamento territorial do concelho em relação à Área Metropolitana de Lisboa (AML), principal centro de produção e consumo do país. Esta circunstância, muito ligada à proximidade geográfica e à crescente dotação em matéria de infraestruturas de transporte, conferiu a Alenquer (nomeadamente às zonas do concelho melhor servidas neste domínio) uma significativa vantagem competitiva com efeitos na criação de importantes dinâmicas de desenvolvimento.

Veja também: Alenquer do Brasil

Resultado de imagem para alenquer de portugalImagem relacionada